As Metas Globais da ONU na Educação

Esta é a tradução autorizada do Artigo “The UN Global Goals in Education” escrito por Kathleen Morris em Primarytech.global2.vic.edu.au   a 26 de Junho de 2018.

This is the authorized translation of the post “The UN Global Goals in Education” written by  Kathleen Morris in  Primarytech.global2.vic.edu.au on the 26th June 2018

mão que aponta inglaterra em mapa mundi

Image: Unsplash

     Tenho sido uma fã de colaboração global nos últimos dez anos. Existem diversas razões pelas quais eu gosto tanto de abrir as paredes da minha sala de aula – desenvolver uma competência de globalidade é incontornável, a colaboração global pode trazer vida à aprendizagem e, além disso, é divertido!

     Ultimamente, tenho seguido com interesse as Metas Globais da ONU e como podem ser aplicadas à Educação.

     Este artigo explica o que são as Metas Globais e oferece algumas ideias sobre como os alunos e os professores podem agir em relação a estas metas.

 

O Que São as Metas Globais?

      Em 2015, as Nações Unidas anunciaram as Metas para o Desenvolvimento Sustentável (SDGs); também são conhecidas como “Metas Globais”. Os líderes dos 193 estados membros das Nações Unidas concordaram nas 17 Metas para um mundo melhor em 2030.

      Abaixo está um resumo visual e pode-se ler sobre cada meta no site “The Global Goals”.

Metas Globais: um resumo visual

      Este vídeo foi organizado com a participação de celebridades para anunciar as metas.
 

     Como podem Professores e Alunos comprometer-se na Ação?

     Sem dúvida concordarão que estas metas são importantes, mas dizer que são ambiciosas é subestimá-las! O que podemos fazer como professores para ajudar? Aqui estão sete ideias.

 

      1) Torne os seus alunos conscientes destas metas

      O canal do YouTube das Metas Globais tem alguns vídeos curtos que fornecem uma boa introdução. Também existem alguns desenhos animados fantásticos para crianças mais jovens neste canal do Vimeo. Melhor ainda, convide os seus alunos a investigar por si mesmos sobre as Metas Globais.

 Também estão disponíveis alguns recursos excelentes na página “A Maior Lição do Mundo”.

 

     2) Familiarize os seus alunos a trabalhar com pessoas de outros Continentes

     Desenvolver uma competência global tornou-se um imperativo se nós esperamos que as futuras gerações trabalhem juntos para resolver alguns dos grandes problemas do nosso mundo (Tal como são delineados nas Metas Globais). Adicionalmente, queremos que os nossos alunos abram caminho num mercado de trabalho em mutação e vivam juntos em harmonia.

     Tudo isto pode começar com interacções regulares e autênticas com outros estudantes à volta do mundo. Verifique o meu Guia para iniciar uma colaboração global para se inspirar em inúmeras ideias e pontos de partida.

 

       3) Use Histórias

      Todos os professores conhecem o poder de contar histórias! Existem algumas histórias online, gratuitas e bandas desenhadas que se referem com diferentes Metas na página “A Maior Lição do Mundo”.

 

      4) Junte-se às comunidades educativas das Metas Globais

     TeachSDGs é uma comunidade excelente, dedicada à promoção e apoio aos professores para ensinarem as Metas. Também pode participar na comunidade global de educadores apaixonados pelas Metas em Participate.

 

5) Aprenda mais com cursos

      Existe um número de cursos online disponíveis para aprender mais sobre as Metas Globais. Um é orientado pela Microsoft e outros estão na plataforma Participate.

 

6) Partilhe

  Para que as metas funcionem, as pessoas precisam de as conhecer. Pode usar a etiqueta #GlobalGoals nas redes sociais e descarregar a aplicação. Também pode passar a palavra  às suas conexões off line, incluindo a família, amigos, colegas e a comunidade escolar.

      Ajudar à tomada de consciência sobre as Metas Globais pode fazer a diferença!

 

     7) Participe na Maior Lição do Mundo

Esta iniciativa gratuita apresenta as Metas às crianças e aos jovens em qualquer lugar e une-os na ação. Existem recursos para os educadores darem aulas, orientarem projetos, e agirem pela causa das Metas. logo de A maior lição do Mundo

  A maior Lição do Mundo começa a 24 de Setembro. Registe-se e descubra mais.

 

Para mais Leituras

     Overview of The Sustainable Development Goals Report 2018 — Este documento constitui um relatório sobre como estamos a avançar no alcance das metas, ao longo dos últimos 3 anos.

       A Guide to the Goals for Children and Young People — Este é um recurso que pode imprimir para os alunos, ou pode utilizar ou utilizar excertos como desejar..

       How To Connect with Other Classes Around the World Through Blogging — O meu artigo sobre como encontrar outras pessoas pelo mundo fora, para conectar-se.

 Conclusão

As Metas Globais são certamente ambiciosas mas os protagonistas na Educação têm sorte; estamos numa posição em que devemos dar pequenos passos rumo a uma mudança e influenciar outros. Mesmo que não tenha tempo ou uma turma para orientar um projeto este ano, só ajudar a passar a palavra sobre as Metas pode fazer uma diferença enorme.

       Pessoalmente, gosto muito da forma como as Metas Globais podem oferecer um enquadramento em torno da colaboração global em sala de aula. Quando usa a tecnologia para se conectar com outros à volta do mundo,  o seu objetivo pode ser grande ou pequeno. Por vezes pode simplesmente colaborar com outra turma para trabalhar ativamente uma das 17 Metas. 

      Outras vezes, o simples ato de comunicar com culturas diferentes pode ajudar a construir a competência global que os alunos precisam para trabalhar com os outros no futuro.

       Afinal, que mais se pode querer do que estarmos todos unidos a trabalhar para fazer do mundo um lugar melhor?

        Têm outros recursos para acrescentar? Por favor, digam-me!

 

 Fiquemos em contacto!

 Se ainda não assinou para receber a minha “newsletter” mensal, gostaria de o fazer agora?

      Perto do final de cada mês eu faço uma breve apresentação dos artigos que escrevi  e também partilho links úteis, dicas ou recursos que fui descobrindo.

      Quando se inscreve, também tem acesso instantâneo ao meu livro digital gratuito com dicas para ensinar os estudantes a fazer pesquisa. Inclui ainda dois cartazes para a sala de aula. Criei-os depois que um número crescente de professores me disse como eram úteis, ao descobrirem o meu artigo para estudantes sobre como fazer pesquisas.

cartazes em miniatura sobre pesquisa

     Preencha o formulário […] ou simplesmente clique aqui para encontrar o formulário de registo no seu navegador. Claro que pode desincrever-se a qualquer momento. 

10 Dicas para tornar +Legíveis os seus Artigos

Esta é a tradução autorizada do artigo Ten Tips For Making your Blog Posts Easier to Read by Kathleen Morris in The Edublogger

This is the authorized Translation of the post Ten Tips For Making your Blog Posts Easier to Read da autoria de Kathleen Morris   no blog The Edublogger

 

Caro Utilizador de Blogue,

Tem ideias tão maravilhosas para partilhar!

O seu conteúdo é excelente; simplesmente eu evito os seus artigos porque, para ser sincero, eles tornam-se… como que difíceis de ler.

Não que a sua escrita não seja “correta”, mas antes é porque as coisas mudaram desde que aprendeu a escrever.

De facto, pode ser a altura certa para esquecer muito do que aprendeu sobre escrita na escola.

Podemos conversar sobre tornar os nossos artigos mais fáceis de ler?

Com gratidão,

Um leitor confiante


Compor um artigo de blog não é fácil, pois não? Tem de pôr de lado todas as distrações no seu computador e focar-se numa única tarefa: escrever no teclado e organizar todos os seus pensamentos até que o seu artigo tome forma.

    Portanto, claro que deseja que as outras pessoas realmente leiam o seu artigo; quer a sua audiência seja constituída por estudantes, pais, ou professores, sente que tem uma mensagem importante para partilhar.

     Também há várias vantagens em apenas escrever. Muitos escritores de blogues descrevem como o facto de escrever os ajuda a organizar e a desenvolver o seu pensamento. Contudo, se essa é a única razão pela qual escrevemos, provavelmente não estaríamos a publicar num blogue público, certo?

    Então, como é que encoraja os seus visitantes a não apenas começar a ler o seu artigo, mas também a lê-lo até ao fim?

    Como tornar os nossos artigos de blogue mais fáceis de ler?

     Talvez a solução não consista em mudar as suas palavras, talvez baste, simplesmente, mudar o estilo e a disposição gráfica do artigo.

     Aqui ficam 10 dicas para tornar os seus artigos mais fáceis de ler: espero que também partilhe as suas ideias num comentário.

 

1.   Parágrafos e Frases:

 

Existe algo mais fácil de pôr de lado do que clicar num artigo de blogue e ver um bloco compacto de texto?

     Deseja lê-lo, mas não há nada a que os seus olhos se possam agarrar. Por mais que experimente, vai acabar por saltar partes e não compreender totalmente o conteúdo.

     A verdade é que um parágrafo digital é diferente de um parágrafo analógico. O modo como consumimos media “online” é diferente do modo como o fazemos “offline”.

     Havia um artigo muito popular no “The Slate” há alguns anos atrás com o título “Não vai acabar de ler este Artigo”. Nele, partilham-se dados demonstrando que a maior parte das pessoas nem sequer descem a página depois de terem chegado ao seu artigo; abandonam-no quase imediatamente. Os dados publicados em “The Slate” fornecem a estimativa de que a maioria dos visitantes lê cerca de 50% do seu conteúdo.

      50% pode até ser uma percentagem otimista, quando consultamos estatísticas semelhantes de outras fontes.

     Parágrafos curtos tornam os seus artigos mais legíveis.                

      Em vez de começar um novo parágrafo quando  o tópico muda, experimente  escrever parágrafos com poucas frases e combine variações de comprimento e  ritmo.

     Por vezes terá parágrafos um pouco mais longos, outras vezes, pode ter um parágrafo que contém apenas uma frase, para um maior impacto. (Não lhe ensinaram isto na escola, pois não?)  

    Quando se trata de escrever online, a estrutura dos parágrafos é mais uma arte do que uma ciência de fórmulas.

   A mesma variação rítmica funciona bem para a estrutura e o comprimento da frase. GaryVorst faz a  seguinte demonstração:

exemplos de frases com o mesmo comprimento e com comprimentos diferentes

 

Gary Provost, 100 maneiras de Aperfeiçoar a sua Escrita.

2.  Tipos de letra

      Existe um amplo debate e pesquisa sobre tipografia ou escolha de tipos de letra. Pessoalmente, considero como um problema frequente o facto de os escritores de Bloques utilizarem um tamanho de letra demasiado pequeno.

     Os “Bloguers” profissionais geralmente optam por usar tamanhos de letra maiores, pois aumentam a legibilidade do texto. Alguns escritores amadores não compreenderam isto; combinar um tipo de letra pequeno com parágrafos longos é a estrada real para os leitores saltarem o artigo e fecharem o separador, por melhor que seja o conteúdo.

   Se está a usar a plataforma Edublogs, há um “plugin” muito prático, chamado “Tipos Supremos de Letra Google”. Permitem-lhe mudar o tipo e o tamanho dos tipos de letra no seu artigo. Divirta-se a experimentar, mas claro que deve escolher um tipo de letra que seja fácil de ler. Outra dica útil é ser consistente com a escolha do seu tipo de letra.

 

3.  Cabeçalhos e Subtítulos

     Subtítulos são uma excelente maneira de quebrar o texto enquanto tornam mais legível e mais compreensível o seu artigo. Isto já se parece mais com algo que aprendemos na escola, certo? Ou talvez não?

cabeçalhos de diversos tamanhos

       Confesso que só desde o ano passado (depois de muitos anos a usar blogues) descobri que usava os subtítulos de maneira errada. Pensava que a ideia era escolher um subtítulo com base no tamanho e na aparência. 

     Mas acontece que há outro nível quanto à escolha de subtítulos nos artigos de blogues.

      Usar os subtítulos não só destaca o seu artigo visualmente, mas também ajuda a organizar o conteúdo do seu blog. Isto ajuda os motores de busca como o Google a escanear e a categorizar a sua informação.

     Se quer seguir a melhor prática de “Blogging”, é suposto, tecnicamente, não saltar um nível de subtítulos.

      O Cabeçalho 1 já vai ser utilizado no título do seu artigo. Quando estiver a escrever artigos (ou páginas) deve usar o cabeçalho 2 para subtítulos no artigo. Então, se subsumir outos cabeçalhos menores sob o primeiro, deverá usar o Cabeçalho 3 e sempre por ordem. Quase de certeza que não vai precisar de usar subtítulos a partir do nível 5.

     Ao estruturar o seu artigo segundo esta hierarquia, pode também ajudar leitores cegos que se apoiam em leitores de écran para aceder ao seu conteúdo (mais sobre acessibilidade no ponto 10)

4.  Listas e Pontos

     A maior parte dos escritores conhece bem o valor dos pontos. Listas ou artigos com listas numeradas são muito populares também. (ei, este artigo todo é uma lista!)

Eis 5 razões que explicam por que são excelentes os pontos ou as listas numeradas:

  • ·        Tornam o seu conteúdo mais fácil de digerir.
  •       Quebram a informação e oferecem mais espaço branco na página,
  •       Oferecem aos seus olhos algo a que se agarrar.
  •        Mantêm-no em movimento através do conteúdo, em vez de o fazer saltar um parágrafo.
  •        Os leitores podem facilmente categorizar a informação

 

Será preciso dizer mais?

 

5) Links

      Hiperligações são uma das formas em que a escrita digital é tão diferente da escrita tradicional. De facto, este é um tópico em que nós podemos investir muito tempo a explorar com os nossos alunos.      

    Se está interessado em saber mais sobre a escrita de hiperligação, consulte alguns dos artigos de Sílvia Tolisano (Langwitches).

     Dum ponto de vista visual, as hiperligações ou palavras em negrito são outra forma de destacar peças chave de informação no seu artigo. Elas atraem o leitor, quando está prestes a saltar o artigo ou a descer a página.

     Claro que há outros motivos para o facto de as hiperligações promoverem o seu artigo:

  •       É educado e eticamente correto citar e reconhecer as suas fontes.
  •       Pode acrescentar profundidade ao seu tópico, se os leitores podem ir a outros “sites” para aprender mais.
  •        Ligar-se a fontes credíveis pode apoiar e fundamentar o que está a dizer.
  •       Os seus leitores frequentarão o seu blogue durante mais tempo se fizer hiperligações com outros artigos relevantes que já escreveu.
  •         Aqui ficam duas coisas para recordar sobre o uso das hiperligações:
  •         Tente fazer com que as suas hiperligações sejam descritivas e integre-as com naturalidade na frase, em vez de dizer:

         “Clique aqui, aqui e aqui

  •         Não exagere nos “links” ou hiperligações. Utilize os que são relevantes e prefira a qualidade à quantidade.

 

6) Imagens

      Quando está a passar os olhos por vários artigos, sem dúvida que os seus olhos são atraídos por imagens. Quebrar o seu texto com algumas imagens pode definitivamente tornar os seus artigos mais fáceis de ler.

       Mas nem todas as imagens são criadas da mesma forma.

      Em primeiro lugar, assegure-se de que não está a utilizar imagens com direitos de autor. Creio que sabe perfeitamente que não se pode utilizar indiscriminadamente o que possa encontrar nas imagens do Google. Temos um artigo sobre direitos de autor, “creative commons” e utilização justa, se quiser aprender mais.

      Além disto, assegure-se de que as suas imagens estão a valorizar o seu artigo e a ajudar os seus leitores a alcançar uma melhor compreensão do assunto do artigo. Demasiadas imagens abstratas ou decorativas podem induzir confusão.

      Finalmente, lembre-se que pode usar mais do que simples imagens. Pode integrar toda a espécie de media nos seus artigos de blog, tais como banda desenhada, testes, questionários, vídeos, redes sociais e outros. Temos um Guia de Ajuda sobre como integrar os media se precisar de mais informação sobre isto.

 

7) Cor

     A cor nos artigos de blogue é um tópico contencioso.

     Certamente, em blogues profissionais, geralmente só encontra autores que se limitam aos tradicionais tipos de letra pretos.

     Mas qual é o professor que não gosta de cores? Eu costumava usar imenso as cores nos meus blogues de turma.

        Alguns professores de alunos muito jovens usam cores diferentes para digitalizar as respostas dos seus alunos num artigo. Depois podem pedir aos alunos para mostrar aos seus pais “o comentário azul” quando chegam a casa, por exemplo.

        Por vezes, a cor é utilizada para tarefas em blogues de alunos. Por exemplo, Zehra respondeu a um vídeo de notícias usando um código de cores para resumos , factos, compreensões e questões.

exemplo de como uma aluna usou  a cor nos seus trabalhos

     Se usar a cor, recorde-se:

  •        Seja consistente: por exemplo, eu usava sempre o vermelho para as minhas perguntas finais num artigo de blogue de turma. Isso ajudava os alunos a saber o que deviam procurar quando respondessem ao artigo.
  •       Escolha as cores com sensatez: cores mais escuras e contrastantes serão as melhores. Amarelo ou verde-água num funco branco não vão contribuir para a legibilidade do seu artigo.

 

8) Alinhamento

     Já partilhei convosco alguns dos “disparates” dos meus primeiros anos em que usava blogues. Aqui vai mais um: costumava alinhar o meu texto ao centro. Ó Céus!

     Quando olho para artigos alinhados ao centro, acho-os muito difíceis de ler. O início de cada linha muda constantemente, por isso torna-se um esforço árduo seguir o seu pensamento.

     O texto alinhado à esquerda é melhor como se mostra abaixo:

alinhamento de texto à esquerda e ao centro

 

9) “Widgets”

 

Segundo a minha experiência, os alunos adoram “Widgets”! Muitos professores também.

     Alguns acrescentam valor ao seu Blogue. Ajudam os visitantes a descobrir conteúdo relevante e blogues relacionados. Podem oferecer às famílias a oportunidade para subscrever o blogue ou manter-se a par, através de um calendário de turma.

     Também existe uma plétora de “widgets” engraçados: a anedota do dia, animais de estimação virtuais, “widgets” de música, de estado de tempo, de factos aleatórios… a lista continua.

     Se pretende que os visitantes leiam os seus artigos, provavelmente não quer que se distraiam com demasiados “widgets” nas barras laterais. Mais ainda, “widgets” em excesso podem tornar mais lento o tempo de abertura do seu blogue.

     Tal como muitos outros aspetos da arte de usar um blogue, vale a pena ponderar como pode encontrar um equilíbrio. Talvez menos seja mais.

 

10)Texto Alternativo e Acessibilidade

      Sei que deseja tornar os seus artigos legíveis para todos, incluindo os visitantes que têm dificuldades de visão. Este é um problema que muitos utilizadores de blogues não consideram.   

     Pode não se aperceber que visitantes com problemas de visão podem usar tecnologia de apoio como leitores de écrans ou outro software que lê a página em voz alta.

     Este tipo de “software” lê o texto alternativo (Alt Text) em vez da imagem.

     Pode imaginar como seria difícil para um visitante com deficiência de visão aperceber-se do seu conteúdo se ele estiver cheio de imagens a que não pode aceder.

     Acrescentar o “Alt Text” é fácil. Quando faz o carregamento de uma imagem, existe uma caixa onde pode escrever a sua descrição antes de carregar em “inserir no Artigo”.

    Pode descrever como é a sua imagem. Ou escrever uma breve descrição sobre o conteúdo se for um gráfico, um mapa ou outro tipo de imagem visual.

    “Alt texto” é apenas mais uma maneira de tornar o seu blogue mais acessível. A Associação Americana para os Cegos oferece mais dicas para tornar a impressão mais legível, incluindo pela seleção de tipos de letra e de cores mais apropriadas.

    Pode ler mais sobre como tornar “sites” de escolas acessíveis neste artigo da Campus Press escrito por Rachel McCollin.

    Quando se trata de estilo, muitas ideias dependem de preferências pessoais. Contudo, é sempre ótimo estarmos abertos a experimentar algo novo, e pode vir a encontrar-se com uma audiência alargada e mais comprometida como resultado dessa atitude.

   Talvez tenha encontrado aqui algumas dicas que você e os seus alunos possam experimentar no próximo artigo?

10 Maneiras

resumo das maneiras de tornar o artigo mais fácil de ler

 

O que pode acrescentar a esta lista? Que espécies de coisas o encorajam a ler um artigo de blogue na sua totalidade? O que considera que deve pôr de lado?

      Ainda não falamos de linguagem. Prefere um tom conversacional, ou artigos que são escritos num estilo mais formal? Partilhe o que pensa sobre isto.  

Kathleen Morris

 

Sobre  Kathleen Morris

Sou uma Professor Primária e Mãe de dois filhos, em Victoria, Austrália. Escrevo sobre “blogging”, colaboração global e inegração de tecnologia  kathleenamorris.com 

Conecte-se comigo no Twitter @kathleen_morris

 

 

 

 

 

 

 

 

Tradução de um Glossário de Termos Técnicos Online

Pais e Professores envolvem-se cada vez mais em compreender e aplicar as possibilidades que as novas tecnologias trazem ao mundo da Educação.

O Artigo aqui traduzido vem ao encontro das novas exigências para aprender a utilizar com  eficácia e criatividade os       principais dispositivos online que permitem, hoje, uma abordagem do processo de Ensino-Aprendizagem mais colaborativa e mais centrada  na construção e partilha de conhecimentos.

Sue Waters, professora na Edublogs, mantém, há alguns anos, um blog – The Edublogger –   especializado no apoio à aprendizagem da utilização das ferramentas designadas “web 2.0″, que , desde que sejam observadas regras essenciais de segurança online, foram concebidas para oferecer – e oferecem –  um enorme potencial educativo.

Assim, e embora o Inglês se tenha tornado “a língua internacional” da Web, sugere-se a tradução do artigo Glossary to Desmistify the Online Jargon, para todos os que preferem ler na sua língua materna, ou que desejam conhecer a correspondência dos termos técnicos em ambas as línguas.

Sue_Waters_blog_mini

Agradeço todas as propostas de aperfeiçoamento na tradução dos termos mais específicos, pelo que mantive os termos originais em paralelo com a respectiva sugestão de tradução.

Esta é a versão do Artigo traduzido em PDF:

Glossário para Desmistificar a Gíria Online

Neste  Artigo são abordados os seguintes tópicos:

Avatar, Blog, Computação em Nuvem, Rede Pessoal de Aprendizagem, RSS, Marcadores Sociais, Redes Sociais, Etiquetas, Web 2.0, Wiki.

Skip to toolbar